3.3.04

tenho frio. tremo. transpiro. ainda que com muita dificuldade, respiro. estou doente. parece que vou morrer. olho-me ao espelho e vejo uma sombra branca do meu rosto. no delírio febril vejo cores brilhantes de combinações de milhares de arco-íris. vejo um sorriso que brilha na escuridão quase impenetrável desta noite que sei que será mais uma em que não conseguirei dormir... apesar dos muitos comprimidos...

estou doente da alma...